Siga me

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

ANAC - AGORA AVIÕES E HELICÓPTEROS SAIRÃO COM BUZINA DE FÁBRICA.

Aviões e helicópteros de São Paulo terão buzina

A medida visa reduzir acidentes e melhorar a educação no trânsito aéreo.
O que parecia inevitável finalmente aconteceu. Com o constante aumento do tráfego aéreo na cidade de São Paulo, a ANAC tomou a polêmica decisão de pedir aos fabricantes de aeronaves que instalem buzinas em seus aviões e helicópteros.
“Infelizmente essa era uma medida que vinha sendo adiada, mas que nós decidimos implementar antes que uma tragédia acontecesse”, diz Antônio Carlos Galeão. “São Paulo, hoje, possui uma frota de helicópteros que supera qualquer cidade do mundo”, analisa. “Ao todo, somando aeronaves de pequeno, médio e grande porte, temos cerca de 5 mil veículos sobrevoando o céu da capital paulista diariamente. É como se todos os torcedores da Portuguesa tivessem seu próprio avião ou helicóptero.”
A decisão, como era de se esperar, tem causado polêmica. Para os moradores do bairro de Congonhas esse será apenas mais um transtorno. “Você imagine, qual será o volume de uma buzina para avião”, diz Maria Creuza Cochlear. “O som das turbinas já é ensurdecedor, então para que a buzina surta efeito, ela deverá ser maior do que o som das turbinas. Se um avião buzinar toda vez que for decolar ou aterrissar, ninguém nunca mais conseguirá dormir aqui em Congonhas”, lamenta ela.
Para a Associação de Pilotos e Comandantes do Estado de São Paulo (Apicoesp) a medida é vista com bons olhos. “Eu já perdi a conta de quantas vezes tomei fechadas de helicópteros ao chegar em São Paulo”, diz Ayrton Piquet, comandante de um Airbus A330. “Eu diria que os helicópteros viraram os motoboys dos céus aqui na cidade. A diferença é que se eles baterem no meu retrovisor as conseqüências podem ser fatais”, diz ele.

A ANAC já afirmou que não voltará atrás em sua decisão, mas que pretende regulamentar a forma como a fiscalização será feita, assim como deverá estabelecer todas as regras para as buzinadas aéreas. “Será proibido buzinar ao sobrevoar hospitais e cemitérios”, diz Galeão. “Também deveremos lançar uma cartilha com os códigos de buzinadas. Uma buzinada curta significa que você irá passar pela direita. Uma buzinada longa significa que você irá passar por cima, e assim por diante”, avisa ele. “Tenho certeza que o mundo deverá seguir esse exemplo dado pelo Brasil e por São Paulo. Quem sabe se isso já existisse em 2006, a tragédia do vôo Gol 1907, que se chocou com outro avião quando sobrevoava o Amazonas, talvez não tivesse acontecido.”

FIM DOS TEMPOS. APOCALISE.

Consumidor encontra merda dentro da camisa do Flamengo




Mais um caso de objeto estranho encontrado dentro de compras. Um consumidor do Rio de Janeiro encontrou um monte de coco dentro de uma camiseta do Flamengo. O torcedor procurou a diretoria do clube para reclamar, mas a única explicação era que as finanças do time precisam ser sanadas.
Em outro caso parecido, um torcedor do Vasco encontrou coliformes na camisa de seu time. Torcedores do Fla organizaram um abaixo-assinado pedido a saída da diretoria, mas não conseguiram reunir assinaturas suficientes, já que poucos sabem assinar.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

STF- VOTO DO MINISTRO CELSO DE MELO SERÁ NARRADO POR GALVÃO BUENO.

Voto de Celso de Mello será narrado por Galvão Bueno

 
A TV Globo apresentou a equipe que fará a transmissão do voto, formada por Galvão, Dirceu e Merval.

Após o empate em 5 a 5 no tempo regulamentar, a cúpula da TV Globo anunciou a aquisição dos direitos de transmissão do voto de Celso de Mello. "Já vendemos 2 das 5 cotas de patrocínio e escalamos nossa trepidante equipe de esportes para narrar o voto final", anunciou Reginaldo Leme.
No final da tarde, Galvão Bueno gravou a chamada que será veiculada nos intervalos comerciais da emissora. "É o voto de Minerva, amigo. Aqui não tem espaço para novato. Haaaaaaaaaaja coração!", disse o locutor, em frente à Praça dos Três Poderes.

Caso o voto de Celso de Mello seja o ponto final do julgamento, Galvão abraçará Merval Pereira aos berros de "Acabooooooooooou! Acabooooou!". Em seguida, brindarão com um Château Lafite Rothschild da safra de 1987. Mas se a corte aceitar os embargos infringentes, será a vez do locutor gritar "A fera voltou!" abraçado a José Dirceu.

domingo, 1 de setembro de 2013

BRASIL VAI IMPORTAR INTELECTUAIS.

Governo brasileiro importará 600 filósofos franceses, ingleses e alemães.

Após a polêmica contratação de 4 mil médicos cubanos e todas as expressões de preconceito oriundas do fato, o governo, em mais uma ação afirmativa, acaba de anunciar a importação de 600 filósofos de nacionalidade francesa, inglesa e alemã. O objetivo é suprir a ausência de intelectuais de pensamento genuinamente nacional, não-nacionalista. Como se sabe, o país carece de filósofos no sentido mais puro da expressão. O primeiro grupo, de 200 profissionais do pensamento, estará no Brasil já no próximo mês para participar do primeiro período de treinamento do programa que lhes ensinará a língua portuguesa (ainda que só se possa filosofar em alemão) e a detectar o possível defeito no ethos local que bloqueia a possibilidade de um pensamento tupiniquim. Todos serão alocados em parte das 701 cidades não colocadas como opção por nenhum filósofo brasileiro, uma vez que inexistem. Um segundo grupo virá em outubro e, até novembro, todos deverão estar dando aulas de filosofia nas universidades federais, compondo comitês de ética nos hospitais, dando palestras e lançando livros nas Livrarias Cultura, publicando artigos em revistas com qualificação A1 no CNPQ e filosofando acerca do irracionalismo nacional.

O Ministério da Educação pediu, e teria conseguido, filósofos que tivessem experiência internacional em Filosofia Analítica, Filosofia Medieval e Antiga, Fenomenologia Francesa Contemporânea, Ontologia, Metafísica, Lógica, Positivismo e Bioética. “Todos eles têm residência em várias universidades da Europa e América do Norte. Cerca de 30% têm também outras especializações, como Sociologia e Ciência Política, e possuem, no mínimo, 16 anos de experiência. Pretendemos, assim, expor ao Brasil que figuras como Arnaldo Jabor, Rachel Sheherazade, Reinaldo Azevedo, Marinela Chaui, Luiz Felipe Pondé, Mario Sergio Cortella, Marcia Tiburi, Ernildo Stein, Olavo de Carvalho, Caio Fernando Abreu, entre outros, não são filósofos brasileiros e não atendem à demanda de um logos nacional ou de uma hermenêutica suficientemente potente para o pensamento de si da nação brasileira. São tão somente marqueteiros, professores de história ou sofistas por profissão”, afirmou o ministro da educação Aloizio Mercadante.