Siga me

sexta-feira, 10 de abril de 2015

TERCEIRIZAÇÃO

Profissão de Deputado será terceirizada e salário despencará para R$ 25.000.

A Câmara dos Deputados acaba de aprovar o texto base do projeto de lei 4330/2004, que regulamenta contratos de terceirização no mercado de trabalho.  Terceirizar, um conceito “moderno”, interesse absolutamente do empresariado,  é um eufemismo para a retirada de deveres e direitos dos trabalhadores. Menores salários, menos direitos, mais horas de trabalho. Entretanto, para provar que o projeto de lei não é de má-fé, Eduardo Acunha, proprietário da Câmara dos Deputados, promete incluir sua própria “profissão” no prelo.

“Segundo as estatísticas do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), funcionários terceirizados ganham em média um salário 25% menor do que os trabalhadores regulares. Que seja! Abro mão dos meus R$ 33.763,00 pelos módicos vinte e cinco mil e poucos aos quais terei direito. Só não aceito que toquem na ajuda de custo, no auxílio-moradia e na verba de gabinete. Quanto a ter que trabalhar em média por mais três horas, não faço questão de me esforçar quatro horas por dia”, afirmou Acunha.

 Quando perguntado sobre o caso da sua mulher, que prestava serviços como terceirizada à Rede Globo e processando a Afundação Roberto Marinho ganhou o direito à contratação, Acunha desconversou. “Mídia é outra coisa, né? Trabalho nobre”, proferiu.

“Se 80% das mortes por acidente de trabalho atingem funcionários terceirizados, que se terceirize urgente a profissão de deputado”, afirmou porta voz da CUNE (Central Única dos Neo Escravos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FIQUE A VONTADE.