Siga me

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

MUDANÇA DE SEXO NA CÂMARA FEDERAL

Deputados mudam de sexo para fugir da lei Ficha Limpa.

O Ficha Limpa, um dos projetos mais importantes na pauta do Senado Brasileiro em 2010, mal acabou de ser aprovado e já apresenta uma brecha que começa a ser explorada por parlamentares. Políticos com problemas na Justiça estão cogitando mudar de sexo para driblar a nova lei e não serem impedidos de lançar candidatura a cargos públicos.
O clima ficou tenso no Senado, claramente dividido entre quem comemorava a aprovação do projeto e quem já se preparava para mudar de sexo. “É o fim dos tempos, não há o menor cabimento”, bradava Adalberto Patricci, representante do PP do Mato Grosso. “Isso não só é uma forma amoral de escapar da lei como também uma afronta à Bíblia e ao Senhor, que não aprovam sob nenhuma hipótese homem se tornar mulher, ou vice-versa”.
Na mesma linha seguiram outros políticos. “Olha, com quase 30 anos, de casa, eu já vi muita coisa acontecer aqui em Brasília. Mas agora, homem virar baitôlo para poder se candidatar mesmo sendo ficha suja, é de lascar”, repudiou Filismino Seneval, líder do PMN de Alagoas. “Vamos encher o Senado de Robertas Closes, é isso? Aqui é lugar de homem, de cabra-macho, disposto a brigar pela democracia”, concluiu.
Por outro lado, os deputados que já estão fazendo uso da brecha da lei se defendem. Rosinha Veiga (antigo Severiano Veiga), do PST de Santa Catarina foi o primeiro deputado a fazer a cirurgia, poucas horas após a lei começar a tramitar. Sra. Veiga, condenada em 2008 por desvio de verbas e peculato, afirma, no entanto, que a mudança de sexo era um sonho de criança.
“É mentira que fiz a mudança por conta da lei Ficha Limpa. Esse sempre foi desejo que cresceu comigo ao longo dos anos. Aquela coisa de gostar mais de boneca do que de bola e carrinho, sabe?”, explicou o ex-deputado, agora deputada. “De modo algum foi uma manobra de minha parte, foi uma questão de oportunidade: consegui um descontão com o Dr. Pitanguy Jr. para realizar a operação.”
Pode não ser o caso da deputada Veiga, mas é fato que a procura por esse tipo de intervenção cirúrgica vive um pico em Brasília. Em uma clínica especializada em troca de sexo, o número de clientes com operações agendadas por parlamentares cresceu em 185% desde janeiro, quando o projeto de lei foi criado. A clínica Depenus criou até um slogan próprio para este nicho de mercado: “Se você é um legítimo cara-de-pau, trocamos tudo, da cara ao pau”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

FIQUE A VONTADE.